Publicidade
19/09/2017
Login
Entrar

1962 - Usiminas

Email
A-   A+
A luta de Minas pela industrialização é também a luta pela implantação da indústria siderúrgica no Estado. Já no final do século 19, era instalado, no município de Itabirito, o primeiro alto-forno da América Latina.

Em 1917, dois ex-alunos da Escola de Minas de Ouro Preto, Amaro Lanari e Cristiano Guimarães, constituem a Companhia Siderúrgica Mineira. Em 1920, o rei Alberto, da Bélgica, visita o Brasil. O então governador de Minas, Arthur Bernardes, mostra ao monarca belga a possibilidade de aplicação de capital no Estado, principalmente na siderurgia.

Em 1921, a fusão da Companhia Siderúrgica Mineira com uma empresa da Bélgica deu origem à Companhia Siderúrgica Belgo-Mineira, em Sabará. Em 1936, a Belgo-Mineira inaugura sua segunda usina, em Monlevade, fazendo da empresa a maior siderúrgica integrada da América Latina.

Ainda era pouco para um grupo de mineiros. Na década de 1930, Getúlio Vargas buscou ajuda na Europa e Estados Unidos para instalar uma grande usina siderúrgica no Brasil, e Minas Gerais reivindicou sua implantação no Estado. O sonho dos mineiros foi frustrado, em 1941, com a decisão do governo federal de instalar a usina em Volta Redonda.

José Costa, no entanto, não desistiu. Continuou a afirmar, principalmente através do Diário do Comércio, que o sonho era possível. E finalmente, depois de muitas viagens e negociações, a grande usina sonhada foi inaugurada em Ipatinga, em outubro de 1962. A Usiminas, um importante episódio no processo de industrialização do Estado, teve em José Costa um de seus fundadores, revelando que os potenciais apontados nas históricas campanhas por sua implantação eram reais.
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.