Publicidade
20/11/2017
Login
Entrar

DC Turismo

02/09/2017

Reforma do Minascentro gera prejuízos para o trade

Eventos no local serão transferidos
Daniela Maciel
Email
A-   A+
Espaço iria sediar um grande evento do setor de aviação em 2018; negociação para trazê-lo para BH durou uma década/Prominas/Divulgação
O anúncio realizado na última semana de agosto dando conta do fechamento do Minascentro para obras, a partir de janeiro de 2018, tem causado rebuliço junto à cadeia produtiva do turismo em Belo Horizonte.

Os últimos eventos a serem realizados no centro de convenções que fica no hipercentro da Capital, serão este mês. A partir daí o espaço será fechado e todos os compromissos marcados remanejados, sem custo, para o Centro de Feiras e Exposições George Norman Kutova (Expominas), na região Oeste.

O texto divulgado pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), responsável pelo espaço, não esclarece prazo de entrega da obra ou valores, já que o edital ainda está em andamento. “Serão realizadas intervenções no sistema hidráulico, de energia e de ar-condicionado, bem como no telhado a partir de janeiro de 2018, objetivando garantir segurança, conforto e bem-estar aos usuários, além de assegurar a adequada manutenção estrutural do edifício e a preservação do empreendimento. O processo licitatório das obras está em fase de estudo. Em função dessas obras emergenciais, as atividades do local serão temporariamente suspensas”, atestou o documento.

Para o secretário-executivo do Belo Horizonte Convention & Visitors Bureau, Hernani de Castro Júnior, a medida é descabida e pode afetar a credibilidade de Belo Horizonte como destino turístico de negócios. “É um absurdo o fechamento do Minascentro dessa forma intempestiva. Mesmo que a mudança de local não gere mais custos para os organizadores isso demonstra amadorismo de toda a cadeia produtiva. Um congresso médico, por exemplo, é marcado com três ou mais anos de antecedência. Isso não pode acontecer”, reclama Castro Júnior.

Em esclarecimento divulgado dia 1º de setembro, a Codemig aumentou a possibilidade para os eventos com dificuldade para com o remanejamento. “A Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) esclarece que os eventos agendados até dezembro de 2017 que não puderem ser realocados para o Expominas Belo Horizonte ou outros locais, sem nenhum custo adicional para os organizadores, poderão ser realizados no Minascentro”, informou a nota.

A presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis - Minas Gerais (Abih-MG), Erica Drumond, engrossa o coro. A entidade já solicitou audiência pública na Assembleia Legislativa sobre o tema. Está sendo organizado, também, um abraço simbólico ao prédio que faz parte da história da cidade.

“O governo não pode atrapalhar o setor dessa maneira. Não existe fechamento de um equipamento como esse. Ninguém fecha um hotel ou um hospital para reforma. Queremos que a Codemig detalhe o projeto nessa audiência. Não podemos jogar fora todo o trabalho feito de divulgação, promoção e captação de eventos realizados dessa maneira. Temos, por exemplo, um grande evento do setor de aviação marcado para outubro de 2018. Vamos poder realizá-lo? Demoramos uma década para trazê-lo para Belo Horizonte”, pontua Erica Drumond.

A assessoria da Codemig foi procurada, mas até o fechamento da edição nenhuma fonte da empresa foi disponibilizada para comentar sobre o assunto.

Linha do tempo - O Minascentro foi criado em 1981 pelo Decreto Estadual nº 21.226 para sediar o encontro das artes, cultura, indústria, comércio, ciência e turismo. Sua inauguração oficial ocorreu em 15 de março de 1984.

A Codemig assumiu a gestão do espaço em conformidade com a Lei nº 22.287, de 14 de setembro de 2016. Indutora do desenvolvimento econômico mineiro, a empresa vem adotando o modelo de concessão de uso de espaços públicos, a título oneroso, à iniciativa privada, a empreendedores com capacidade e expertise devidamente comprovadas, no intuito de implementar dinamismo e operacionalidade aos empreendimentos, sendo remunerada, principalmente, por royalties sobre a receita bruta.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

18/11/2017
Fasano chega à Capital em 2018
Empreendimento terá 78 quartos e vai contar também com o restaurante Gero
18/11/2017
Nova Lima realizou Circuito do Turismo Empreendedor
A cadeia produtiva do turismo de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), viveu uma semana agitada com a realização do Circuito do Turismo Empreendedor,...
18/11/2017
Conceição do Mato Dentro busca reaver título de "capital mineira do ecoturismo"
Conceição do Mato Dentro , na região Central, surgiu a partir de um povoado no início do século 18, e é um dos mais antigos assentamentos urbanos de Minas...
11/11/2017
Banho de cachoeira e trilhas atraem turistas
Algumas de fácil acesso, outras mais escondidas, elas são o destaque de um meio ambiente diverso
11/11/2017
Entregue 1ª fase das obras de recuperação da Matriz de Conceição do Mato Dentro
Conhecida pelo ecoturismo praticado na Serra do Cipó, Conceição do Mato Dentro, na região Central, se prepara para voltar a atrair também o turismo religioso e...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.