Publicidade
20/09/2017
Login
Entrar

Legislação

12/09/2017

Receita cobra R$ 22,7 bilhões de micro e pequenas empresas

Optantes do Simples Nacional serão notificadas e poderão ser excluídas do regime a partir de 2018
FP/Abr
Email
A-   A+
A Receita notificará 556.138 micro e pequenas empresas/Charles Silva Duarte/Arquivo DC
Brasília - A Receita Federal informou ontem que notificará 556.138 micro e pequenas empresas (MPEs) optantes do Simples Nacional dos seus débitos previdenciários e não previdenciários com o Fisco e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN). Quem não regularizar sua situação será excluído do programa a partir de janeiro de 2018.

Os devedores que serão notificados respondem por dívidas que somam R$ 22,7 bilhões, de acordo com o Fisco.

Segundo o órgão, os atos declaratórios com as notificações serão disponibilizados hoje no Domicílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional (DTE-SN) - o prazo máximo para realizar essa consulta é 45 dias a partir de hoje.

A partir da data em que o contribuinte tomar ciência do ato declaratório executivo (ADE), terá 30 dias para regularizar sua situação.

O ADE de exclusão pode ser acesso pelo portal do Simples Nacional na internet ou pelo Atendimento Virtual (e-CAC), no site da Receita Federal, mediante certificado digital ou código de acesso.

“A pessoa jurídica que regularizar a totalidade dos débitos dentro desse prazo terá a sua exclusão do Simples Nacional automaticamente tornada sem efeito, ou seja, a pessoa jurídica continuará no Simples Nacional, não havendo necessidade de comparecer às unidades da RFB para adotar qualquer procedimento adicional”, diz a Receita.

A Receita alerta que “as microempresas e empresas de pequeno porte devem ter atenção para não serem excluídas de ofício do regime tributário simplificado e diferenciado favorecido pelo Simples Nacional por motivo de inadimplência”.

A pessoa jurídica que não regularizar a totalidade de seus débitos no prazo de 30 dias contados da ciência será excluída do Simples, com efeitos a partir no dia 1º de janeiro de 2018.

Leia também:
Credor pode ter mais poder em recuperação


Pirataria - O superintendente da Receita Federal, Luis Eduardo Vasconcelos, disse ontem que o objetivo da Operação Setembro, realizada ontem na capital paulista em conjunto com a prefeitura e o Ministério Público Federal (MPF), é melhorar o ambiente de negócios no Brasil. “O combate à pirataria e falsificação vem com o viés de resgatar a noção exata de cidadania. Quando falamos de não consumir produtos piratas, estamos falando em privilegiar a legalidade e a formalidade”, afirmou.

O principal alvo da operação é o Shopping 25 de Março, onde funcionam pelo menos 900 estabelecimentos. O objetivo é fechar as lojas onde são comercializadas mercadorias irregulares, fruto de contrabando, descaminho e falsificação.

Segundo ele, a primeira ação foi a busca e apreensão de documentos dos estabelecimentos para identificar os beneficiários do esquema de pirataria que ocorre no shopping, além de descobrir quem são os inquilinos e os locatários das lojas. “Esses documentos serão importantes para instruir as representações fiscais para fins penais que a Receita Federal fará e encaminhará ao MPF. Seguiremos agora com a apreensão de mercadorias”.

A expectativa é de que sejam apreendidas mais de 800 toneladas de mercadorias, totalizando R$ 300 milhões, ao fiscalizar mais de 900 lojas, já que algumas tem matrizes e filiais em outros lugares. Os produtos comercializados no local são essencialmente de origem chinesa e de alguns países da Ásia. O Shopping 25 de Março é o maior centro de comércio desse tipo de produto no estado de São Paulo, de acordo com a Receita Federal. A operação transcorrerá durante todo o mês de setembro.

Ao mesmo tempo em que a Receita Federal fiscalizará as lojas, a prefeitura cancelará os alvarás de funcionamento de todos os estabelecimentos do shopping, com base na Lei 14.167/2006, que permite à prefeitura caçar o alvará de espaços onde são comercializados produtos piratas. O Ministério Público Federal examinará os casos fiscalizados pela Receita e determinará a instauração de inquérito policial, quando necessário.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/09/2017
Arrecadação federal registra alta de 7,9%
Resultado apurado em agosto com base no Siafi foi alavancado pela receita sobre lucro dos bancos
20/09/2017
Governo deverá retomar reforma em outubro
Rio de Janeiro - O governo federal mantém a aprovação da reforma da Previdência como tema prioritário, segundo o secretário executivo do Ministério...
20/09/2017
Leão foca no pagamento em espécie
São Paulo - A Receita Federal colocou em consulta pública minuta de instrução normativa, disponível na internet ( receita.fazenda.gov.br ), que torna...
20/09/2017
MP do novo Refis pode ser votada hoje
Brasília - O presidente em exercício da Câmara, o deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), afirmou ontem que pautará para hoje a votação no...
19/09/2017
INSS tenta reaver mais de R$ 1 bilhão junto a bancos
Benefícios foram liberados após morte de segurados, aponta CGU
› últimas notícias
Usiminas reajustará preços em 10,2%
Setor deve mudar o foco dos investimentos
Iace tem alta de 0,7% em agosto, aponta a FGV
MP para repactuação de concessões é publicada
BR Food cogita reduzir produção em fábricas de Uberlândia
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Minas se distancia da recessão
Fapemig aguarda até 16 de outubro os projetos de pesquisa para o Queijo Minas Artesanal
Compre Certo planeja ampliar atuação no interior do País
Reino Unido estreita, ainda mais, parceria com Fiemg Lab
Arranjos Produtivos Locais em Minas vão receber investimentos personalizados
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


20 de September de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.