Publicidade
20/10/2017
Login
Entrar

Economia

12/10/2017

Projeto capacita fornecedores em Minas Gerais

Entre as empresas âncoras do programa da Fiemg está a mineradora AngloGold Ashanti
Ana Amélia Hamdan
Email
A-   A+
Trindade: "Buscamos sensibilizar e engajar os micro e pequenos para a necessidade do desenvolvimento sustentável"/Simone Silva/Fiemg/Divulgação
Um amplo conceito de sustentabilidade – que vai além da questão ambiental e é aplicado à gestão – vem sendo trabalhado junto a micro e pequenas empresas fornecedoras da mineradora AngloGold Ashanti. “Buscamos sensibilizar e engajar os micro e pequenos para a necessidade do desenvolvimento sustentável, para que se tornem mais produtivos e eficientes na prestação de serviço”, explicou o gerente-geral de Serviços e Suporte da AngloGold Ashanti, Ewerton Gonçalves Trindade. Com a ação, as fornecedoras ganham em competitividade, enquanto a grande indústria se beneficia com a melhoria da qualidade do serviço prestado.

A iniciativa faz parte do projeto Sustentabilidade na Cadeia Produtiva, realizado pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). Gerente de Responsabilidade Social Empresarial da Fiemg, Luciene Araújo explica que a participação das empresas de grande porte – as chamadas empresas âncora – é primordial na mobilização para que pequenos e médios empreendedores internalizem a gestão sustentável quanto a seus três pilares: ambiental, social e econômico. “Estamos ampliando o volume de indústrias com a visão sustentável”, diz.

Outra vantagem citada por Luciene Araújo é que os fornecedores deixam de ser tão dependentes de um único modelo de negócio, já que podem abrir novas frentes de mercado.

Ewerton Trindade explica que, num primeiro momento, os empreendedores são convidados a conhecer o programa. Até agora, cerca de 30 empresas fornecedoras da mineradora já participaram de duas sessões para se informarem sobre a iniciativa. Em seguida, pode ocorrer a adesão ao projeto, que é gratuito. Ainda sem ter o balanço final, a AngloGold já sabe que ao menos 20 empresas vão aderir ao treinamento, que tem duração aproximada de um ano, com início no final deste mês. Durante o processo, os envolvidos fornecem informações sobre a situação da empresa, o que dá base ao trabalho dos consultores.

Nesse período, a empresa recebe consultorias por parte de equipes da Fiemg. Ewerton Trindade explica que esses consultores cuidam para apontar ações de acordo com as possibilidades de execução e de caixa da empresa.  “Se, durante o programa, a equipe de consultores constatar que a empresa está crescendo e precisa de mais ferramenta de gestão, será sugerido o que fazer. As vezes uma medida simples, como um curso de Excel, já potencializa o negócio. Em outros casos, pode ser algo relacionado ao fluxo de caixa”, exemplifica.

Durante o programa é trabalhado o conceito de sustentabilidade com 32 tópicos. Uma ação de sustentabilidade pode ocorrer, por exemplo, quanto à gestão financeira, se a empresa tem uma composição de custos adequada, com análises que levem a uma melhora da margem. Acontece ainda se o empresário mantém seu negócio totalmente legalizado, com impostos em dia. Além disso, a empresa estará atuando de forma sustentável ao tiver programa de desenvolvimento de funcionários, oferecendo a eles experiência que levem a aprendizado. Questões como atenção à qualidade do produto e prazo da entrega também se enquadram no conceito.

Desenvolvimento - De acordo com Ewerton Trindade, outro benefício para a AngloGold é que a mineradora pode colocar em prática o valor de agir na busca do desenvolvimento da sociedade onde atua. “Por esse motivo, priorizamos os convites a micro e pequenos empresários de cidades onde estamos presentes”, disse. Entre esses municípios estão Nova Lima, Sabará e Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e Santa Bárbara, na região Central. Só em Minas, a AngloGold tem 4 mil fornecedores ativos.

O projeto Sustentabilidade na Cadeia Produtiva é aplicado à mineração e também à indústria automotiva. A iniciativa foi apresentada, em agosto, a micro e pequenos empresários fornecedores da Fiat Chrysler Automóveis (FCA). De acordo com a Fiemg, o trabalho abrange seis campos de observação: cultura organizacional responsável; ambiente de trabalho seguro, saudável e produtivo; pessoas motivadas e inovadoras; pessoas transformadoras; públicos de relacionamento comprometidos; e desenvolvimento da sociedade. Esses se dividem em 32 temas de sustentabilidade, como conduta ética e corrupção, processo produtivo ecoeficiente, entre outros.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/10/2017
Varejo agora é dinâmico e personalizado
As mudanças nos hábitos dos consumidores têm motivado a integração dos mundos físico e virtual
20/10/2017
Três Corações Caffitaly inicia produção em Montes Claros
Inversões podem chegar a R$ 180 mi
20/10/2017
Limitação do linhão do Norte para o Sudeste pode elevar contas de luz
São Paulo  - Uma limitação no montante de energia que pode ser transportado pela maior linha de transmissão de eletricidade do Brasil, que leva até o...
20/10/2017
Governo muda regras da Caixa para que não sofra interferências políticas
Brasília - O governo estuda mudanças nas regras de governança da Caixa Econômica Federal, que, caso sejam aprovadas, passará a ser um banco pouco exposto a...
20/10/2017
Investimentos no Brasil ficam estáveis em agosto
Rio de Janeiro - Os investimentos ficaram estáveis no País em agosto, segundo cálculos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Indicador Ipea de...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.