23/09/2014 - Policard aposta no potencial da área de logística do país

A logística é apontada por especialistas como um dos maiores gargalos para o crescimento da economia brasileira. As grandes distâncias, as más condições das estradas e o preço alto do frete são alguns dos fatores que ajudam a encarecer o chamado custo Brasil. No último item, as viagens de retorno sem carga de boa parte dos caminhões impactam na formação do preço. Atenta a esse cenário, a Policard, empresa sediada em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, lançou, no fim de agosto, o Aplicativo (App) Polifrete, que visa ser uma ponte entre os motoristas e as empresas de transportes. Por meio do Polifrete as empresas não precisam deixar seus fretes parados. Rapidamente encontram veículos na região que procuram por cargas e, assim, têm mais opções de frete, podendo conseguir um menor custo nas negociações. Em contrapartida, os motoristas podem encontrar clientes para fechar negócios em suas rotas habituais, não sendo obrigados a voltar com o caminhão vazio e negociam diretamente com o responsável pela mercadoria. De acordo com o vice-presidente da Policard, Luciano Penha, a operação acontece em tempo real e o aplicativo pode ser baixado gratuitamente. "O aplicativo, assim como o software, são de propriedade da Policard. O objetivo é ser uma ponte entre as duas partes.  um serviço complementar às soluções de logística que já oferecemos, porém é uma unidade de negócios independente. O Polifrete é uma ferramenta de inteligência para unir as duas partes e jogar os custos para baixo", explica Penha. O App, desde o lançamento na terceira semana de agosto, cadastrou 3 mil caminhoneiros e 400 transportadoras. O objetivo não é substituir a figura do agenciador de frete, mas sim, ser uma ferramenta também para esse profissional. Modelos - "Estamos testando alguns modelos de negócios para que a ferramenta seja sustentável. Ele pode ser totalmente livre de pagamento, ser remunerado por mensalidade ou por operação realizada, cada um de acordo com as funcionalidades disponíveis", destaca o vice-presidente. Presente em cerca de 4 mil municípios espalhados por todos os estados brasileiros, a empresa, por enquanto, não tem planos de internacionalização. "Apesar dos convites, ainda não achamos interessante começar negócios fora do país. Existe grande espaço inexplorado no mercado nacional e enfrentar as dificuldades culturais, de legislação e econômicas de outros lugares não vale a pena", avalia o gestor. A Policard é a quarta maior empresa no mercado de benefícios e a maior nacional do setor, com mais de 120 mil estabelecimentos credenciados, 10 mil clientes e 4 milhões de cartões emitidos. Atua no segmento de logística, redes de captura e processamentos com softwares próprios. Em 2013 o grupo faturou R$ 12 bilhões e a expectativa de crescimento para 2014 é de 20%. Na modalidade benefício são emitidos cartões alimentação, refeição, convênio, viagem, cultura, premiação, presente e natal. E soluções e logística os cartões empresarial, frete, frota e combustível. Entre os vários produtos, destaca-se, pelo potencial de crescimento, o frete eletrônico, na avaliação do empresário, especialmente no mercado das pequenas empresas. "Com a fiscalização eletrônica - que deve entrar em vigor ainda no final de 2014 - essa será uma ferramenta importante que vai possibilitar que os caminhoneiros trabalhem com mais dignidade, coibindo a evasão fiscal, dando transparência aos processos e ajudando na dinâmica do mercado com o objetivo final de baratear custos", analisa.