Publicidade
16/08/2017
Login
Entrar

Economia

12/08/2017

PIB da América Latina deve crescer 2% no próximo ano

Reuters
Email
A-   A+
Santiago - A economia da América Latina deve crescer 2% em 2018, o dobro do crescimento esperado para este ano, impulsionada pelo maior dinamismo de México, Brasil e Argentina, disse a secretária-executiva da Cepal.

O impulso que começa a tomar a região ocorre em parte por causa da recuperação dos preços das commodities e pelo aumento do comércio global, disse Alicia Bárcena no Reuters Latin American Investment Summit.

“Se o nosso crescimento médio da região é de 1,1% (em 2017), no próximo ano será de 2% e certamente será muito puxado por grandes economias como México, Brasil e Argentina”, disse Bárcena do seu escritório da Comissão Econômica das Nações Unidas para a América Latina e Caribe, em Santiago.

No entanto, ela admitiu que o baixo crescimento esperado para este ano - após dois anos de contração - se reflete em uma taxa de desemprego de 9,4% em 2017, acima da previsão anterior e 0,5 ponto percentual a mais do que em de 2016.

A taxa de desemprego mais elevada influencia o menor Investimento Estrangeiro Direto (IED), que deve cair 5% na região em 2017 para somar quatro anos de quedas consecutivas. Mas ela espera uma imagem melhor no próximo ano.

“O investimento deve ser melhor do que em 2017 (...) Eu vejo mais próximo de uma estabilização em 2018. Acredito que será melhor lá fora”, disse a chefe da organização.
Bárcena destacou que setores como o de energia renovável podem atrair muitos capitais estrangeiros no Brasil, Peru, Chile e México. Mas a mineração de lítio poderia avançar na Bolívia ou na Argentina, juntamente com o turismo na América Central ou o setor industrial nas maiores economias da região.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

16/08/2017
Caged: Minas é destaque na criação de empregos formais
Minas Gerais continua sendo destaque na geração de emprego formal para jovens de até 29 anos no País.  Recorte feito pelo Ministério do Trabalho e Emprego...
15/08/2017
Roubo de cargas onera toda a sociedade
Valor do frete embute custo maior com seguro que é repassado para o comércio e os consumidores
15/08/2017
Magnesita Refratários reporta prejuízo líquido de US$ 41,4 milhões
Resultado do semestre é atribuído a baixas contábeis e câmbio
15/08/2017
Balança tem superávit de US$ 873 milhões na segunda semana de agosto, aponta Mdic
Brasília - A balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 873 milhões na segunda semana de agosto (7 a 13), segundo dados divulgados ontem pelo...
15/08/2017
Vale passa a ter o controle indefinido e afasta o fantasma de interferência governamental
Rio - Privatizada em 1997, a Vale entra agora em uma nova era, passando a ser uma corporation, isto é, uma companhia sem controlador definido. Isso passa a valer a partir da...
› últimas notícias
Caged: Minas é destaque na criação de empregos formais
Roubo de cargas onera toda a sociedade
Magnesita Refratários reporta prejuízo líquido de US$ 41,4 milhões
Corte a importações da Coreia do Norte é imposto
Balança tem superávit de US$ 873 milhões na segunda semana de agosto, aponta Mdic
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Roubo de cargas onera toda a sociedade
Receita da Pif Paf deve ir a R$ 4 bilhões
Vale passa a ter o controle indefinido e afasta o fantasma de interferência governamental
Magnesita Refratários reporta prejuízo líquido de US$ 41,4 milhões
Estado busca alavancar indústria criativa
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


17 de August de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.