Publicidade
20/10/2017
Login
Entrar

DC Auto

12/10/2017

Novo Polo Highline é testado durante evento itinerante da marca

Modelo avaliado tem motor 1.0 turbo
Amintas Vidal*
Email
A-   A+
O evento itinerante da marca teve como destaque a sexta geração do Polo, lançado no Brasil dia 25 do mês passado. Além da novidade, todo o portfólio da Volkswagen esteve à disposição dos clientes para testes práticos na pista e também em exposição para interessados em adquiri-los.

Aproveitamos a oportunidade para conhecer melhor o novo Polo, analisar alguns detalhes de acabamento e ergonomia mas, principalmente, os seus recursos eletrônicos de segurança, algo que não poderíamos fazer nas estradas paulistas durante o seu lançamento.

O modelo disponibilizado para avaliação foi o Polo Highline 200 TSI (1.0 turbo – R$ 69,19 mil) com câmbio automático de 6 marchas. Em sua configuração básica, sem o Active Info Display, painel digital configurável, seu interior não é tão impressionante, mas é bastante completo.

Ele vem com todos os marcadores analógicos importantes e o sistema Infotainment Composition Touch com tela de 6,5 polegadas, conjunto oferecido de série a partir da versão Comfortline (quando configurado com o painel digital, opcional disponível apenas para a versão Highline, o sistema é o Discover Media, com tela de 8 polegadas e sensor de aproximação).

Leia também:
Itens de segurança levados à prova na pista


Interior – A qualidade dos materiais do acabamento interno é boa, assim como o encaixe entre as peças e sua fabricação. O que destoa um pouco, para o segmento premium, é a falta de superfícies macias ao toque, já que todos os materiais são rígidos. Apenas uma pequena parte é revestida em tecido, nos apoios de braço das portas.

O desenho dos painéis e das demais peças internas é bastante dinâmico. Linhas retas e recortes angulares conferem modernidade e sensação de espaço ao modelo. Se os materiais mais simples que os utilizados na Europa buscam adequar o Polo ao poder aquisitivo do brasileiro, infelizmente, a monocromia a bordo atende ao gosto conservador do mesmo.

No velho continente, as cores da carroceria do Polo invadem a cabine passando do painel para as laterais e para o console, tornando o design interno bem mais interessante.

Por aqui, o “bom e velho” preto, cinza e prata dominam a área. Os bancos são mais firmes, envolventes e acomodam melhor que os do Gol, Fox e up!. A posição de dirigir é correta, alinhada e todos os comandos ficam à mão.

O espaço interno é bom, pois ele é mais largo que o Polo de quarta geração, anteriormente vendido em nosso mercado. Além dos ombros, pernas e cabeças também se acomodam muito bem.

Mas o Polo 2018 é mais baixo que seu antecessor e seus concorrentes diretos, como o Chevrolet Onix e o Fiat Argo. Quem gosta de dirigir mais “vestido” pelo carro, vai aprovar esse purismo da VW, mas entrar e sair dele não é tão confortável assim.
A versão avaliada conta com um apoio de braço na frente que possui guarda-trecos, tomada USB e saída de ar para os passageiros de trás. Tudo muito útil e realmente prático.

Porém, isso diminui o espaço das pernas do ocupante central do banco traseiro, tornando a posição mais apropriada para uma criança.

No mais o carro é bem acertado ergonomicamente e está muito mais para o Golf, o hatch médio da marca, do que para os outros compactos da Volkswagen.
Somente ao vivo é que se percebe o quanto o Polo evoluiu. Seu porte é bem mais avantajado que do seu antecessor e suas linhas bem mais agressivas. Por foto não se percebe tanto, talvez por sua semelhança com o Gol.

A VW reestilizou o Gol com base na identidade visual do Polo e, pelo menos por algum tempo, as pessoas se confundirão mesmo. Suas semelhanças com o irmão menor param por aí.

O Polo está mais para o Golf, muito além da ergonomia já mencionada acima. Para começar, eles utilizam a mesma plataforma, a MQB (Matriz Modular Transversal).
Mecanicamente, o motor TSI 1.0 foi reprogramado e melhorou, rendendo 128 cv de potência, contra os 125 CV do acerto utilizado no Golf. Outra semelhança muito bem-vinda, mas infelizmente pouco valorizada no Brasil, diz respeito à proteção dos ocupantes em caso de colisão do veículo.

Testado pelo LatinNcap, o Polo obteve as desejadas 5 estrelas, tanto para a proteção dos passageiros adultos quanto para as crianças.  Suas notas foram tão expressivas que, em relação ao Golf, ficaram apenas alguns décimos abaixo. Contudo, a dupla da VW está entre os três carros mais seguros fabricados no Brasil.

* Colaborador

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/10/2017
Hilux ganha versão Challenge para 2018
Picape média passa a contar com onze versões e o utilitário SW4 amplia oferta para até sete versões
20/10/2017
Os dois modelos receberam 5 estrelas nos testes de segurança
Tanto a Hilux como o SW4, em suas linhas 2018, seguem equipados com motores diesel e flex. O motor 2.8 litros de quatro cilindros em linha com 16 válvulas, DOHC com corrente de...
12/10/2017
Itens de segurança levados à prova na pista
Fomos à pista do Mega Space para testar os equipamentos que garantem a segurança ativa do novo Polo. Entre eles, podemos destacar o controle de tração (TC), que é...
06/10/2017
Nova Frontier está pronta para a disputa
Picape da Nissan conta, agora, com bom pacote tecnológico, conforto e powertrain de respeito
06/10/2017
Interior, igual aos sedans, se destaca
Internamente, a Frontier ganhou um novo sistema multimídia com tela de 6,2 polegadas. Ele possui 2 GB de espaço e conexão à internet por meio de Wi-Fi pela plataforma...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.