Publicidade
20/09/2017
Login
Entrar

DC Inovação

12/05/2017

MobQI recebeu mais de R$ 15 mi em investimento

Mírian Pinheiro
Email
A-   A+
A partir de junho, Reino Unido, Alemanha e Suíça estarão utilizando o MobQI, sistema brasileiro integrado entre app e web (que pode ser interligado com um device) que permite a completa integração, gerenciamento e compartilhamento de dados da mobilidade urbana de qualquer cidade do mundo, ligando os usuários com os prestadores de serviço. O lançamento oficial será feito em junho, na sede Microsoft em São Paulo. Segundo Ernani Machado, engenheiro robótico, advogado, administrador e presidente da JMM Tech, empresa que idealizou a spin off, foram mais de R$ 15 milhões em investimentos. A projeção de faturamento é de R$ 20 milhões até março de 2018.

O protótipo foi criado em 2014 e submetido a dois anos de testes e aperfeiçoamento contínuo. Ao todo, foram três anos de desenvolvimento no Brasil, Inglaterra e Alemanha até a plataforma final. O MobQI foi testado em 36 cidades, em países da Europa, América Latina e Brasil. Durante um ano, mais de 150 pessoas estiveram envolvidas no desenvolvimento da plataforma, entre programadores, engenheiros etc. O MobQI possui um banco de dados onde já estão cadastradas 2.616 cidades do mundo inteiro e conta com o apoio do governo inglês. No Brasil, ele ainda não tem data para entrar em operação.

Segundo o presidente da JMM Tech, motoristas de veículos de transporte público, como ônibus, barca, trem, táxi e etc, baixam um app em seus smartphones e ou tablets e, automaticamente, o sistema começa a operar utilizando inteligência artificial. “O sistema além de conectar os usuários com os prestadores de serviço de transporte, ainda mapeia os pontos de transporte público, além da possibilidade de chamar um táxi, uma ambulância, acionar a polícia ou até os bombeiros, tudo isso utilizando um sistema integrado que permite vários serviços para empresas, usuários e governos”, explica.

Para utilização do sistema, serão cobrados R$ 20 por mês para cada veículo do transporte urbano rastreado. “Nossos concorrentes cobram apenas para rastrear mais de R$ 1 mil por mês nas grandes cidades, sendo que o MobQI além de compartilhar as informações com o usuário, ainda gerencia toda a frota ou cada veículo da empresa”, observa Machado. Com o MoobQI não precisa comprar nenhum equipamento, é só fazer o cadastro baixar os apps e começar a usar.

Outra opção, diz Machado, é utilizar um rastreador de baixíssimo custo que é opcional e pode ser ligado em cada veículo.O MobQI tem uma central de Controle e Operações para os órgãos de segurança, logo polícia, ambulância e bombeiros estão conectados com os usuários que utilizam nosso sistema e com os ônibus que têm o nosso sistema. Em caso de roubo, acidente ou problemas correlatos, é só clicar um botão que a viatura mais próxima será acionada para resolver o problema, evitando danos ao patrimônio (como incêndio de ônibus), roubos, acidente etc.

O MobQI já venceu mais de 10 prêmios, como o 100 Open Startups, Desafio Brasil, e Ford Challange. Também está sendo contemplado em dois programas de aceleração, o Fiemg Lab, promovido pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais e InovAtiva Brasil, parceria do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com execução da Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi). “Programas como o Fiemg Lab são especiais porque diferenciam cada negócio e diferenciam as ações, promovendo muitos contatos”, elogia Machado.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

16/09/2017
Governo de Minas lança programa +Oportunidades
Iniciativa promove crescimento econômico e social por meio da inovação
16/09/2017
SafeTest Diagnósticos participa da Startup Games
Com o objetivo de proporcionar encontros que geram negócios, Belo Horizonte sedia neste final de semana, de 15 a 17 de setembro, na Praça da Liberdade, a Startup Games, a maior...
15/09/2017
Esportes ganham forte aliado tecnológico
A plataforma belo-horizontina Rakete, por exemplo, ajuda na organização de torneios de ponta a ponta
15/09/2017
Raja Valley vai apoiar 24 startups em Minas Gerais
Os empreendedores de startups em Belo Horizonte vão ganhar mais uma oportunidade para fomentar seus negócios: o Raja Ventures Launch, programa de pré-aceleração...
15/09/2017
Méliuz já devolveu mais de R$ 40 milhões
Empresa, que acaba de fazer 6 anos, registrou mais de R$1,5 bilhão em vendas para seus 2 mil parceiros
› últimas notícias
Usiminas reajustará preços em 10,2%
Setor deve mudar o foco dos investimentos
Iace tem alta de 0,7% em agosto, aponta a FGV
MP para repactuação de concessões é publicada
BR Food cogita reduzir produção em fábricas de Uberlândia
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Minas se distancia da recessão
Fapemig aguarda até 16 de outubro os projetos de pesquisa para o Queijo Minas Artesanal
Compre Certo planeja ampliar atuação no interior do País
Reino Unido estreita, ainda mais, parceria com Fiemg Lab
Arranjos Produtivos Locais em Minas vão receber investimentos personalizados
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


20 de September de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.