Publicidade
17/11/2017
Login
Entrar

DC Auto

15/09/2017

Família Delivery passa a ter onze modelos

Volkswagen Caminhões e Ônibus mira no segmento de até 3,5 toneladas com a opção Express
José Oswaldo Costa* de Resende/RJ
Email
A-   A+
Atravessamos um momento único no que diz respeito ao transporte de cargas urbano. Muitas cidades já proíbem, ou restringem ao máximo, a circulação de grandes caminhões em ruas e avenidas mais centralizadas e movimentadas.

É nesse cenário que os caminhões leves e semileves, com capacidade de carga entre 3,5 e 11 toneladas, ganham importância. Principalmente os primeiros.

Além de ter a circulação permitida (se enquadram entre os chamados VUC – Veículo Urbano de Carga), veículos com até 3,5 toneladas de capacidade de carga podem ser dirigidos por condutores que possuem, apenas, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) da categoria B. Não há exigência pelas categorias C ou D.

Hoje, o segmento de leves e semileves é responsável por 31% da vendas totais de caminhões no Brasil. Os extrapesados respondem por idênticos 31% enquanto, os médios e pesados (capacidade de carga entre 13 e 31 toneladas), são donos de 38% da fatia do bolo.

As projeções mostram que, até 2030, os leves e semileves responderão por 39% das vendas totais. Por esses motivos apresentados, a Volkswagen Caminhões e Ônibus acaba de lançar seis novos modelos para integrar a família Delivery.

A linha Delivery já contava com cinco opções: 5.150 (5 ton.), 8.160 (8 ton.), 9.160 (9 ton.), 10.160 (10 ton.) e 13.160 (13 ton.). Agora, recebe os seguintes modelos: Express (3,5 ton.), 4.150 (4 ton.), 6.160 (6 ton.), 9.170 (9 ton.), 11.180 (11 ton.) e 13.180 (13 ton.).

Com esses lançamentos, a linha completa abrangerá o mercado de caminhões desde os que partem de 3,5 toneladas chegando, até, aos que possuem capacidade para 13 toneladas.
De acordo com a VW Caminhões e Ônibus, o investimento total para o desenvolvimento dos novos modelos foi da ordem de R$ 1 bilhão. O tempo necessário para chegar ao produto final foi de 5 anos e foram rodados mais de 4 milhões de quilômetros em testes.

A nova linha será lançada mundialmente, mas o Brasil será o primeiro mercado a recebê-la. Produzido na planta de Resende, no interior do Rio de Janeiro, conta com três versões de acabamento: City, Trend e Prime (topo de linha).

A nova linha Delivery teve sua engenharia desenvolvida no Brasil enquanto, o design, ficou aos cuidados dos alemães. É um caminhão desenvolvido totalmente do zero.

Apesar do lançamento de seis novos caminhões, pode-se dizer que a grande estrela do evento de apresentação à imprensa especializada foi o Delivery Express.

Ele é o principal modelo a se encaixar nos parâmetros que apresentamos no início dessa matéria: capacidade para até 3,5 toneladas, permissão para rodar em locais de circulação restrita e pode ser conduzido por quem possui, apenas, a CNH da categoria B. Além disso, em pedágios, paga o mesmo valor de um automóvel.

A VW Caminhões e Ônibus apresentou soluções interessantes para esse modelo. Um bom exemplo é o fato de, pela primeira vez na história da montadora, ele contar com suspensa dianteira independente.

Outro detalhe importante é que ele pode sair da fábrica já encarroçado, seja para carga seca, seja com baú. Sua capacidade de carga líquida é de 1 tonelada. Caso não queira dessa forma, o cliente pode optar para que o veículo seja entregue, apenas, no chassi.

De acordo com a Volkswagen, seus concorrentes ou são veículos derivados de picapes ou são caminhões com cabine semiavançada. O Delivery Express é o único com cabine avançada (posicionada acima do motor) e que oferece 2 metros de largura dentro da cabine.

Os concorrentes não passam de 1,80 metro de largura. Dentre eles, podemos citar o Iveco Daily, o Mercedes-Benz Sprinter, o Hyundai HR e o Ford F350.

Interior – A cabine do novo Delivery foi desenvolvida com o foco na ergonomia, no conforto e na robustez.

Posição de dirigir, empunhadura do volante, regulagem de altura do banco, painel de instrumentos, porta-objetos e espaço suficiente para transitar no interior, indo do banco do motorista até o do passageiro de forma rápida, foram as premissas iniciais.

A concepção dos bancos, ainda de acordo com a Volkswagen, contou com a colaboração de dezenas de pessoas de diferentes estaturas e portes físicos, de modo que a condução seja confortável para todos.

Os assentos são feitos com tecidos de alta resistência e hidrorrepelentes, que não mancham. Em cores escuras, também são ideais para o dia a dia. A posição dos pedais foi adequada ao anda e para das entregas urbanas, sem exigir grande esforço de acionamento ao motorista, o que reduz os riscos de lesão por esforço repetitivo (LER).

A cabine vem, ainda, com novo sistema de basculamento por meio de uma alavanca localizada em seu interior. De fácil acionamento, proporciona mais segurança e conforto em manutenções.

No quadro de instrumentos destaca-se o conceito modular, que permite ao operador organizar dispositivos como rádio, tacógrafo e equipamentos próprios de cada operação. É o caso da temperatura do baú frigorífico, por exemplo, que deve ser monitorada sem que o motorista tire os olhos da via.

*O jornalista viajou a convite da VW Caminhões e Ônibus

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

17/11/2017
Chevrolet apresenta a S10 100 Years
Versão limitada a 450 unidades, numeradas, utiliza motor 2.8 Turbo Diesel e câmbio de 6 marchas
17/11/2017
Jaguar XE 2018 chega ao mercado nacional com novas opções de motores e duas versões
O Jaguar XE chega ao modelo 2018 com a nova linha de motores Ingenium, totalmente desenvolvida pela Jaguar Land Rover. Os novos propulsores Ingenium são bastante leves e compactos,...
10/11/2017
Subaru Forester ganha nova versão de entrada
Linha do utilitário passa a contar com 3 opções
10/11/2017
Continental investe em segurança digital automotiva
A conectividade dos veículos já é uma realidade e novos sistemas estão sendo desenvolvidos para tornar os carros cada vez mais eficientes, autônomos e seguros....
10/11/2017
Motor Boxer 2.0, aspirado, rende 150 cv
O Forester L está equipado com o mesmo conjunto mecânico da versão intermediária da gama (Sport): motor Boxer 2.0 litros aspirado, com 150 cv de potência e torque...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.