30/06/2017 - Empresas "recém-nascidas" esnobam a crise

Taxas de crescimento acima da média, funcionários engajados e felizes e uma receita que não para de aumentar nem mesmo com a crise econômica. A realidade vivida pelas empresas de alto crescimento destoa do cenário macroeconômico do País, onde a manutenção de resultados já é vista como vitória. E como se não bastasse tamanho otimismo, um grupo seleto dessas empresas ganha ainda mais destaque por um detalhe: há cinco anos, elas sequer existiam. Como gigantes com espírito de criança, elas mal abriram as portas, mas já se destacam na frente de empresas tradicionais, abocanhando boa parte do mercado em que atuam. O desempenho dessas jovens empresas é um fenômeno diferenciado, principalmente quando se considera a realidade do Brasil com suas burocracias e altos custos para operação. De acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realizada em 2014 e divulgada no ano passado, seis de cada 10 empresas brasileiras morrem antes de completar cinco anos. A pesquisa utilizou dados do Cadastro Central de Empresas e mostrou que das 694,5 mil empresas abertas em 2009, somente 275 mil (39%) ainda existiam em 2014. O IBGE ainda mostrou que, após um ano de operação, mais de 157 mil (22%) fecharam as portas. De acordo com a coordenadora da Endeavor em Minas Gerais, Júlia Ribeiro, uma empresa pode ser considerada de alto crescimento, ou scale-up, quando registram crescimento de, pelo menos, 20% ao ano nos últimos três anos, e tenham, ao menos, 10 funcionários. “Uma pequisa realizada em 2014 pela Endeavor, em parceria com o IBGE, mostrou que menos de 1% das empresas brasileiras são de alto crescimento. Por outro lado, são elas que geram quase metade dos novos postos de trabalho, o que evidencia sua importância para a economia de um país”, afirma. Acostumada a lidar com empresas de todos os tamanhos e idades, a coordenadora afirma que não é possível traçar um diagnóstico padrão que explique o fracasso ou sucesso de um negócio. Mas, segundo ela, há elementos positivos que se repetem nos cases de sucesso e que podem, portanto, indicar caminhos. O primeiro deles é o tamanho do mercado. Para a coordenadora, empresas de alto crescimento desenvolvem produtos ou prestam serviços para um grande mercado. Em outras palavras, elas resolvem um grande problema de um grande número de pessoas. Além disso, cases de sucesso foram criados por empreendedores que têm conhecimento da área em que atuam. Normalmente são profissionais que trabalharam no segmento ou estudaram aquele assunto em um projeto de pesquisa. Por fim, Júlia Ribeiro destaca a paixão do empreendedor pelo negócio como o terceiro elemento em comum das empresas de alto crescimento. Ela lembra que criar uma empresa do zero exige muito preparo e dedicação e, por isso, estar envolvido com aquela causa é essencial para o sucesso do negócio. Leia também Inovação e governança podem levar ao sucesso Contramão - Com sede no bairro Mangabeiras, região Centro-Sul de Belo Horizonte, a Dr. Lava Tudo, empresa especializada em soluções de limpeza, é um exemplo de negócio que reuniu esses elementos de sucesso destacados pela coordenadora da Endeavor. A empresa acaba de completar cinco anos e vive um momento de expansão da área de atuação e faturamento. Por lá, a crise parece não ter chegado, conforme explica o diretor comercial, Gianfrancisco Gandra. “Em 2015 e em 2016, registramos 400% de crescimento por ano. Em 2014, atendíamos em quatro cidades, com 15 funcionários e, agora, estamos em 142 municípios e 206 funcionários”, comemora. A empresa oferece um serviço relativamente simples: limpeza de estofados, carpetes, tapetes e outras superfícies com características similares. A tecnologia utilizada para isso e o atendimento aos clientes, por outro lado, não têm nada de comum. E é exatamente esse modelo de negócio diferenciado que vem trazendo destaque para a Dr. Lava Tudo diante de seus milhares de concorrentes. “O cliente de limpeza de estofados tem muito medo em relação ao serviço porque ele já teve muitas decepções. E é por isso que a gente inverte o risco: na Dr. Lava Tudo, o cliente só paga se ele ficar satisfeito. Além disso, damos garantia quase que incondicional do nosso serviço, o que é muito difícil encontrar em qualquer outro lugar”, afirma. Além disso, a empresa oferece um seguro do serviço, que garante o ressarcimento em caso de qualquer dano permanente ao bem. Ainda dentro do atendimento, oferece outro diferencial: uma plataforma on-line de contratação de serviço simples e intuitiva, por onde o cliente pode iniciar e fechar sua solicitação de serviço. Em relação à tecnologia, a novidade está na praticidade proporcionada. Segundo Gandra, o serviço de limpeza é feito em menos de uma hora e, depois disso, o cliente só precisa esperar entre duas a três horas para utilizar. O diretor comercial explica que a tecnologia embarcada nos equipamentos é inspirada em modelos italianos e japoneses, mas o maquinário é 100% produzido por parceiros no Brasil. Para o empresário, além de um negócio diferenciado, o crescimento da Dr. Lava Tudo também se deve a um modelo de gestão eficiente. Nesse sentido ele destaca o controle de custos, que é conduzido com mão de ferro. Além disso, ele cita como um dos principais “segredos” da empresa a política de retenção de clientes. O diretor afirma que a Dr. Lava Tudo tem uma equipe especializada em “encantar os clientes”, além de várias opções de canais de comunicação. “Não adianta ficar buscando novos clientes se você não consegue manter os antigos: nosso objetivo é satisfazer de tal forma que ele se torne embaixador da nossa marca”, afirma. Além disso, Gandra frisa a importância de um bom investimento em marketing e de uma gestão baseada em números e dados reais, em vez de “achismos”.