Publicidade

DC Turismo

12/03/2017

Curaçao recebeu 38.744 visitantes em janeiro

Email
A-   A+
Klein Curaçao (foto) é uma pequena ilha do Mar das Caraíbas que pertence administrativamente a Curaçao/Luciana Montes
São Paulo - O CTB (Curaçao Tourist Board) e o Ministério do Desenvolvimento Econômico utilizaram o “Modelo Turistika” para calcular o impacto econômico gerado pela indústria do turismo no primeiro mês de 2017. O “Modelo Turistika” é um acordo de cooperação de longo prazo entre o Ministério do Desenvolvimento Econômico e o CTB, com a participação da SEO Amsterdam Economics, fundada a partir da Faculdade de Economia da Universidade de Amsterdam.

Desse modo foi apurado um aumento de 2,8% no impacto direto para a economia local.
Um impacto direto de US$ 51,2 milhões foi gerado para a economia local, sendo que no ano passado o impacto foi de US$ 49,8 milhões no mesmo período. Do total, 53,3% do impacto direto gerado partiu de visitantes europeus que corresponde a US$ 27,4 milhões. As regiões norte-americana, sul-americana entre outras geraram, respectivamente, US$ 12,8, US$8,5 e US$2,5 milhões.

O total de gasto por visitante é derivado do número de noites na ilha, enquanto o crescimento para a economia local é devido ao fato de que os visitantes da região europeia ficaram mais tempo na ilha.

Curaçao acolheu 38.744 visitantes em janeiro de 2017, uma queda de 7% em relação ao mesmo mês do ano passado, sendo que metade de todos os visitantes tiveram como origem a Europa com um total de 19.300 visitantes. Inseridos nesse número estão Holanda e Alemanha que registraram resultados positivos.

A chegada de visitantes da América do Norte diminui 4%, o que em números absolutos significam 8.406 visitantes norte-americanos. A região detém 21,7% de participação de todos os visitantes de Curaçao em janeiro, e é a segunda maior região em desembarques na ilha.

Embora todos os mercados da América do Sul apresentem crescimento significativo, a queda de 50% nos turistas provenientes da Venezuela, causou uma queda de 22% para esta região. Em janeiro foram recebidos um total de 7.808 visitantes da América do Sul, enquanto que do Caribe foi registrado um aumento de 2% no número de visitantes, ou mais 2.273.

No primeiro mês de 2017, Curaçao acolheu um total de 14.993 visitantes da Holanda, um aumento de 1% em relação a janeiro de 2016. Os visitantes da Holanda ficaram mais tempo e viajaram com famílias maiores do que no ano anterior. A média de noites por visitante em janeiro de 2017 a partindo da Holanda foi de 12,2 noites por pessoa.

O número de estadias dos visitantes Alemães registrou um aumento de 11%, contando com 1.831 visitantes, em janeiro de 2016 foram recebidos 1.656.

O CTB registrou um total de 8.406 visitantes da América do Norte em janeiro de 2017, classificando a região como a segunda maior fonte de visitantes neste mês.

A sazonalidade na indústria do turismo foi melhor demonstrada pelo Canadá, que durante a estação mais fria de dezembro a março, registrou aumento nas viagens aéreas com um voo semanal partindo de Montreal e outros quatro voos semanais. Janeiro é o mês de pico para os visitantes canadenses que somaram 3.270.

Dos Estados Unidos 5.136 visitantes foram registrados, com uma ligeira diminuição de 2%, que representam uma perda de apenas 124 visitantes.

A região da América do Sul enviou à Curaçao um total de 7.808 visitantes em janeiro, sendo esta a primeira vez em que o CTB registra um número de visitantes menor da América do Sul em relação à América do Norte. Esta é a primeira vez que a CTB registra menos visitantes provenientes da região da América do Sul em comparação com a região norte-americana. Esta diminuição se explica pela queda contínua de chegadas da Venezuela, com 50% menos visitantes em relação ao ano passado, com 3,240 venezuelanos recebidos.

As chegadas da Colômbia tiveram um ótimo desempenho em relação a 2016 com aumento de 53%, um total de 1.879 colombianos recebidos. O crescimento da Colômbia é o efeito direto dos voos charter da Colômbia.

O contínuo esforço de comercialização no Brasil, acompanhado de melhor situação política e econômica demonstram resultados no desempenho positivo. O Brasil registrou crescimento de 16% com um total de 1.259 visitantes no primeiro mês de 2017.

A região do Caribe registrou um aumento de 2%, com um total de 2.273 visitantes em janeiro, sendo que Aruba registrou uma diminuição de 3% com total de 1.027 chegadas. O aumento foi derivado de República Dominicana e Haiti, com crescimento de 10% e 45%, respectivamente.

Diárias de visitantes - Em janeiro foi registrado um aumento da média de visitantes por noite de 10%. Os visitantes ficaram 9,2 noites em janeiro enquanto no ano passado, a média de noites por pessoa foi de 8,4 noites, um aumento de 2%. Um total de 358.197 noites de foram registradas em comparação com 349.557 no ano passado.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

26/03/2017
Airbnb apresenta plataforma Trips em SP e Rio
Rio - O Airbnb anunciou na sexta-feira (24) o lançamento da plataforma Trips no Brasil, adicionando experiências locais em São Paulo e Rio de Janeiro às milhares de...
26/03/2017
Pucón, no Chile, atrai milhares de pessoas
Imagine um cenário deslumbrante montado por lagos de águas cristalinas, vulcões, cachoeiras, águas termais e belas montanhas. Esse local existe: Pucón, um...
25/03/2017
Aumento da presença de turistas em Belo Horizonte durante o Carnaval foi de 240%
Maioria dos visitantes no período garante retorno a Belo Horizonte
25/03/2017
Coca-Cola abre visitação à Fábrica da Felicidade
Espaço disponibiliza passeio em que os visitantes vão conhecer a história da bebida e da indústria
25/03/2017
Long stay é nova tendência de mercado
Até pouco tempo atrás, morar em um quarto de hotel parecia coisa de celebridade ou sinal de excentricidade. A modalidade, batizada como long stay, entretanto, tem ficado cada dia mais...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.