22/12/2015 - Axis aposta em telhados sustentáveis

Minas Gerais está no foco da Axis Renováveis, empresa paulista que atua no segmento de energia solar. Com um modelo de negócios inovador, que aposta no aluguel de painéis fotovoltaicos, a empresa promete redução no custo de energia sem investimento inicial da empresa contratante. A Axis já instalou painéis em duas grandes empresas mineiras - dos segmentos de locação de carros e de farmácia - e pretende chegar a mil instalações em todo o País até o fim de 2016. A proposta principal de geração de valor da Axis é oferecer tarifas de energia previsíveis com baixos custos para os clientes, sem pagamento antecipado e com geração de energia garantida a partir de sistemas solares fotovoltaicos. De acordo com o sócio-diretor, Luiz Augusto Pacheco e Silva, a Axis instala painéis fotovoltaicos em telhados de empresas com carga de baixa tensão sem custo inicial. A empresa só paga pelo consumo da energia produzida pelos painéis, que tem valor inferior à energia elétrica. “É feito um contrato de aluguel do sistema que dura entre 12 e 15 anos e o cliente paga um valor mensal referente ao consumo. Se os painéis conseguem gerar 50% da energia que a empresa consome, ela compra da Axis esses 50%, pagando um valor inferior ao que pagaria para a distribuidora de energia. Ou seja, o cliente tem um desconto na sua conta no final do mês sem ter feito nenhum investimento para isso”, explica o sócio-diretor. Leia mais Sicredi lança financiamento para geração O sistema é composto por módulos fotovoltaicos que captam a radiação solar e a convertem em energia elétrica. Além disso, a tecnologia também possui um inversor, que adapta a energia gerada para o formato utilizado pelos equipamentos elétricos da empresa. Além da economia, o cliente ainda tem a tranquilidade de não se preocupar tanto com os reajustes das tarifas das concessionárias, além de valorizar a marca pela utilização de tecnologia sustentável. Silva afirma que o modelo de negócio da Axis é inovador porque a maioria das empresas do segmento vendem o sistema de painéis fotovoltaicos. Ele destaca que, para clientes que têm empresas com muito pontos pulverizados, esse formato não é interessante. “O sistema vendido pela maioria das empresas do setor dura cerca de 25 anos e dá retorno entre seis e oito anos. Mas negócios que têm muitos pontos, como agências bancárias e farmácias, por exemplo, não têm interesse em investir em energia: eles querem abrir mais unidades, então vimos que havia demanda para esse tipo de mercado”, diz. De acordo com ele, a Axis investe cerca de R$ 80 mil na instalação de painéis fotovoltaicos em cada cliente. A mensalidade cobrada depende do consumo e da área de telhado do cliente. De acordo com o sócio-diretor, o foco da Axis são empresas com carga de baixa tensão, que pagam mais caro pela energia elétrica. Ele afirma que a operação da empresa é em São Paulo, mas a força de atuação será mesmo em Minas Gerais. O interesse em terras mineiras é explicado por ele de forma rápida e simples: o Estado tem uma das tarifas de energia elétrica mais caras do País e tem uma grande incidência de luz solar. Até o momento, a Axis instalou painéis em duas grandes empresas mineiras, mas a expectativa do sócio-diretor é avançar no Estado. A meta da empresa é chegar ao fim de 2016 com uma cartela de 20 clientes e mil instalações realizadas em todo o País. Silva afirma que o mercado de energia renovável está em alta, o que traz otimismo para a Axis. “O mundo todo está olhando para a energia renovável, como ficou comprovado agora na COP21. O Brasil está conseguindo retomar um pouco do atraso que tinha nesse segmento, além disso estão surgindo incentivos para a área, como isenção de impostos, então é um mercado em expansão”, analisa.