Publicidade
28 de May de 2017
Login
Entrar

Economia

17/05/2017

Apesar da queda na comparação com abril, expectativas são melhores do que no ano passado

Agência Estado
Email
A-   A+
Item Perspectiva de Consumo registrou aumento de 28,2% em maio na comparação com o mesmo intervalo de 2016/Alisson J. Silva
Rio - Os brasileiros ficaram menos propensos às compras na passagem de abril para maio, segundo dados divulgados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) alcançou 77,7 pontos em maio, numa escala de 0 a 200 pontos, o equivalente a uma redução de 0,2% em relação ao mês anterior. O resultado, entretanto, foi 11,1% superior ao mesmo período do ano passado, a terceira variação positiva consecutiva.

“A confiança das famílias segue em trajetória positiva apesar da pequena queda mensal nos meses de abril e maio. A melhora nas expectativas das famílias se dá, principalmente, pelas notícias favoráveis à retomada da economia, como a desaceleração da inflação, a queda dos juros e a liberação de recursos de contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço)”, avaliou Juliana Serapio, assessora econômica da CNC, em nota oficial.

O componente Emprego Atual teve ligeira queda de 0,1% em relação a abril, mas permanece acima da zona de indiferença (100 pontos), aos 108,5 pontos. Em relação a maio de 2016, houve avanço de 8,4%. O percentual de famílias que se sentem mais seguras em relação ao emprego atual ficou em 31,8% em maio, ante 31,6% em abril.

A preocupação das famílias em relação ao mercado de trabalho foi evidenciada pelo componente Perspectiva Profissional. O subitem alcançou 98,8 pontos em maio, uma queda de 1,6% na comparação com abril. Em relação a maio do ano passado, porém, houve aumento de 6,3%.

O componente Nível de Consumo Atual cresceu 16,6% na comparação com maio do ano passado, além de aumentar 1,9%, ante abril. Mas a maior parte das famílias declarou estar com o nível de consumo menor do que o do ano passado, o equivalente a 60,2% dos entrevistados, ante uma fatia de 60,87% em abril.

O item Perspectiva de Consumo registrou aumento de 0,5% em relação a abril e elevação de 28,2% ante o mesmo período de 2016.

O componente Momento para Duráveis apresentou crescimento de 1,6% na comparação com o mês anterior, após duas quedas consecutivas. Em relação a maio de 2016, o item mostrou aumento de 20,4%.

Leia também:
Indicador do Boa Vista aponta recuo
Setor comemora resultados do Dia das Mães


Prazo - O crédito ainda restrito e caro para os consumidores impactou os resultados dos componentes ligados às compras a prazo em maio, apontou a CNC. O item Acesso ao Crédito, aos 70 pontos, teve queda de 0,1% em maio, ante abril, mas subiu 5,3% em relação a maio de 2016.

“Perspectivas mais favoráveis no que diz respeito à velocidade de queda dos juros e impactos positivos que essa medida provocaria sobre o mercado de trabalho ainda são necessárias para que o setor (varejo) retome um ritmo de crescimento mais intenso nos próximos meses”, concluiu a entidade.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

27/05/2017
Governo vai editar uma nova MP do Refis
Prazo para parcelamento será de 150 meses com descontos de 40% sobre multa e de 80% sobre juros
27/05/2017
Rabello de Castro irá comandar o BNDES
Brasília - O atual presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Paulo Rabello de Castro, assumirá o comando do Banco Nacional de Desenvolvimento...
27/05/2017
Maioria dos brasileiros não tem reservas
São Paulo - Mais da metade da população brasileira (65%) não tinham uma reserva financeira em março último, taxa ligeiramente acima da registrada no...
27/05/2017
Para Fiemg, ano ainda não está perdido
Atual crise foi um dos assuntos abordados pelo empresariado no evento da entidade
27/05/2017
Fundação Renova deve investir cerca de R$ 3,5 bi
Reparação de danos já começou
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.