Publicidade
21/11/2017
Login
Entrar

Finanças

12/09/2017

Analistas voltam a revisar para baixo as estimativas para a inflação deste ano

AE
Email
A-   A+
Brasília - Sob influência da inflação de agosto, divulgada na última quarta-feira, os economistas do mercado financeiro voltaram a reduzir suas projeções para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para este e o próximo ano. O Relatório de Mercado Focus divulgado ontem pelo Banco Central (BC), mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,38% para 3,14%. Há um mês, estava em 3,5%. A projeção para o índice de 2018 foi de 4,18% para 4,15%, ante 4,20% de quatro semanas atrás
Na prática, as projeções de mercado divulgadas no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto percentual (inflação entre 3% e 6%).

Na última quarta-feira, 6, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA subiu 0,19% em agosto. O resultado ficou abaixo do piso das estimativas do mercado (de 0,22% a 0,47%).

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 foi de 3,27% para 3,15%. Para 2018, a estimativa permaneceu em 4,19%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,38% e 4%, respectivamente. Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 4,19% para 4,14% de uma semana para outra - há um mês, estava em 4,50%.

Leia também:
PIB brasileiro deve crescer 0,7% em 2017


PIB - Os economistas do mercado financeiro elevaram as projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2017. A expectativa de alta para o PIB deste ano foi de 0,5% para 0,6%. Há um mês, a perspectiva estava em 0,34%. Para 2018, o mercado elevou a previsão de alta do PIB de 2,00% para 2,10%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava em 2,00%.

No Focus divulgado nesta segunda, a projeção para a produção industrial deste ano foi de avanço de 1% para alta de 1,1%. Há um mês, estava em 1,03%. No caso de 2018, a estimativa de crescimento da produção industrial passou de 2,16% para 2,30%, ante 2,01% de quatro semanas antes.

Juros - Após a decisão do Copom do Banco Central, na última quarta-feira, 6, os economistas do mercado financeiro reduziram suas projeções para a Selic (para o fim de 2017 e de 2018.

O Relatório de Mercado Focus trouxe que a mediana das previsões para a Selic este ano foi de 7,25% para 7% ao ano. Há um mês, estava em 7,5%. O levantamento indicou ainda que a mediana das projeções dos economistas para a Selic no fim de 2018 passou de 7,5% para 7,25% ao ano, ante 7,5% de um mês atrás.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/11/2017
IBC-Br atinge o maior nível desde 2015
Indicador do Banco Central avançou 0,40% em setembro e acumula uma alta de 0,43% neste ano
21/11/2017
Mercado europeu tem sessão de ganhos
São Paulo - As principais bolsas da Europa fecharam em alta ontem, mesmo com a instabilidade política observada na Alemanha após a chanceler Angela Merkel não...
21/11/2017
Cotação do bitcoin bate recorde e chega a US$ 8,263 mil
São Paulo - O bitcoin voltou a quebrar mais um recorde ontem e ultrapassou os US$ 8 mil, chegando à cotação máxima de US$ 8.263,01, de acordo com a CoinDesk,...
18/11/2017
Índice Bovespa volta a subir e fecha a semana em alta
Bolsa paulista valorizou 1,28% na sexta-feira
18/11/2017
Grupo vai discutir crédito para o varejo
São Paulo - O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, se comprometeu a montar um grupo de trabalho com o objetivo de buscar soluções ao alto custo de crédito...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.