Publicidade
19/09/2017
Login
Entrar

Finanças

12/09/2017

Analistas voltam a revisar para baixo as estimativas para a inflação deste ano

AE
Email
A-   A+
Brasília - Sob influência da inflação de agosto, divulgada na última quarta-feira, os economistas do mercado financeiro voltaram a reduzir suas projeções para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para este e o próximo ano. O Relatório de Mercado Focus divulgado ontem pelo Banco Central (BC), mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,38% para 3,14%. Há um mês, estava em 3,5%. A projeção para o índice de 2018 foi de 4,18% para 4,15%, ante 4,20% de quatro semanas atrás
Na prática, as projeções de mercado divulgadas no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto percentual (inflação entre 3% e 6%).

Na última quarta-feira, 6, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA subiu 0,19% em agosto. O resultado ficou abaixo do piso das estimativas do mercado (de 0,22% a 0,47%).

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 foi de 3,27% para 3,15%. Para 2018, a estimativa permaneceu em 4,19%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,38% e 4%, respectivamente. Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 4,19% para 4,14% de uma semana para outra - há um mês, estava em 4,50%.

Leia também:
PIB brasileiro deve crescer 0,7% em 2017


PIB - Os economistas do mercado financeiro elevaram as projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2017. A expectativa de alta para o PIB deste ano foi de 0,5% para 0,6%. Há um mês, a perspectiva estava em 0,34%. Para 2018, o mercado elevou a previsão de alta do PIB de 2,00% para 2,10%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava em 2,00%.

No Focus divulgado nesta segunda, a projeção para a produção industrial deste ano foi de avanço de 1% para alta de 1,1%. Há um mês, estava em 1,03%. No caso de 2018, a estimativa de crescimento da produção industrial passou de 2,16% para 2,30%, ante 2,01% de quatro semanas antes.

Juros - Após a decisão do Copom do Banco Central, na última quarta-feira, 6, os economistas do mercado financeiro reduziram suas projeções para a Selic (para o fim de 2017 e de 2018.

O Relatório de Mercado Focus trouxe que a mediana das previsões para a Selic este ano foi de 7,25% para 7% ao ano. Há um mês, estava em 7,5%. O levantamento indicou ainda que a mediana das projeções dos economistas para a Selic no fim de 2018 passou de 7,5% para 7,25% ao ano, ante 7,5% de um mês atrás.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

19/09/2017
Ofertas de ações podem gerar cerca de R$ 50 bilhões
Bancos elevaram as projeções
19/09/2017
Ibovespa renova a máxima ao subir 0,31%
São Paulo - O Índice Bovespa renovou seu recorde histórico ontem e atingiu pela primeira vez no intraday o patamar dos 76 mil pontos. Em um dia de noticiário...
16/09/2017
Ibovespa recupera fôlego e bate recorde
Bolsa de valores fechou a sessão de sexta-feira com valorização de 1,47% e atingiu os 75.756 pontos
16/09/2017
Ilan: reformas são essenciais para a economia
São Paulo - O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, voltou a enfatizar o gradualismo no ritmo de cortes da taxa básica de juros à frente, e destacou a...
16/09/2017
Órama vai expandir as operações
São Paulo - A Órama Investimentos vai expandir suas operações e abrir um escritório em São Paulo até o início do próximo ano,...
› últimas notícias
Secretaria de Educação
Nova Faculdade
Minas se distancia da recessão
Mercado prevê crescimento de 0,6% no ano
Novo Regularize impulsiona a arrecadação de ICMS em MG
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Colégio Nossa Senhora das Dores compra Colégio São Francisco
Ibovespa recupera fôlego e bate recorde
Feira de carros do Mineirão volta a ser realizada neste mês
"Inovar é coisa do passado", diz Farruggia
Economia mundial favorecerá o Brasil
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


19 de September de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.