17/10/2015 - Alugar imóvel em Orlando viabiliza viagem

A desvalorização do real fez com que boa parte dos turistas brasileiros reavaliasse os planos de viajar para o exterior. Muitos não precisaram cancelar o passeio, porém, racionalizar os custos é, praticamente, uma regra. Segundo Wendel Ferrari, CEO da Temporada em Orlando - empresa especializada no aluguel de casas em Orlando (www.temporadaemorlando.com.br), organização e planejamento são as armas para gastar menos sem perder qualidade e nem deixar de fazer os programas mais interessantes do destino. "O brasileiro já melhorou muito no item planejamento. Hoje as pessoas fazem reservas e compram passagens com meses de antecedência. Agora é ampliar esse hábito também para as programações.  possível pesquisar e comprar pela internet ingressos para as atrações, fazer reserva de carro, descobrir eventos gratuitos, passeios ao ar livre, entre outros. Isso costuma diminuir bastante os gastos", explica Ferrari. Utilizar cupons de desconto e "pechinchar" também é válido. Bater perna e verificar pelo comércio local o preço de itens vendidos nos parques e nos famosos outlets da região costuma preservar alguns dólares no bolso no fim de uma tarde de compras. "No comércio local é possível negociar. Muitos donos de lojas são brasileiros e fica mais fácil conversar. Não estamos muito acostumados com a cultura dos cupons, mas eles são muito vantajosos. Andar um pouco também funciona. Muitas vezes encontramos preços melhores em pequenas lojas, freqüentadas pelos moradores locais", destaca o CEO da Temporada em Orlando. Aluguel - Optar por uma casa alugada ao invés de um hotel também pode ser uma boa ideia no caso de famílias e grupos de amigos. A operação pode ser feita do Brasil. Um apartamento básico, com espaço para acomodar seis pessoas sai, em média, por US$ 120 por dia. As casas podem ser alugadas com toda a infraestrutura. Caso deseje, o hóspede pode solicitar serviços de limpeza e manutenção à parte. "Se você consegue um grupo que complete a lotação o preço Àrateado" sai bem em conta. Normalmente a partir de quatro pessoas a relação custo-benefício já está garantida. Alugando uma casa é possível também reduzir os custos com alimentação. Fazer a própria comida e levar lanches para os passeios sai bem mais barato", aponta o executivo. Outro ponto a favor das casas é a privacidade. Todo o acesso é informatizado. Com infraestruturas diferentes, podem atender variados perfis de consumidores. Em uma casa é possível fazer amizade com os vizinhos, muitos deles moradores da cidade, e fazer uma incursão mais profunda pela cultura local. "Para hóspedes que querem mais badalação indicamos condomínios mais próximos aos parques, com acesso facilitado. Já para quem quer sossego e comodidade, temos condomínios que são praticamente resorts, até com campo de golfe.  possível experimentar a vida de um norte-americano típico, fazendo compras, convivendo com a vizinhança e vendo as crianças brincarem juntas no fim da tarde", avalia o gestor.