Publicidade
17/11/2017
Login
Entrar

Internacional

27/10/2017

China prefere crescer devagar e forte

Reuters
Email
A-   A+
Pequim - A China não determinará uma meta de dobrar seu Produto Interno Bruto a partir de 2021, para que possa se concentrar mais em um crescimento de longo prazo e de maior qualidade, divulgou uma autoridade do Partido Comunista, em uma ruptura com práticas do passado.

A segunda maior economia do mundo caminha para atingir seu objetivo de duplicar o PIB e a renda per capita até 2020 a partir de 2010. A especulação do mercado sobre novas metas se intensificou antes do congresso do Partido Comunista, que ocorre duas vezes por década e terminou na terça-feira.

Embora a busca chinesa por metas de crescimento fortes ao longo dos anos tenha ajudado a retirar a economia global da recessão após a crise financeira, a dívida corporativa e de governos locais aumentou, as disparidades econômicas regionais se ampliaram e os danos ambientais se agravaram.

Qualidade - O vice-ministro do Escritório do Grupo Central de Liderança sobre Assuntos Financeiros e Econômicos, Yang Weimin, disse ontem em uma coletiva de imprensa em Pequim que a China não vai buscar somente a expansão econômica e vai enfatizar a qualidade de seu crescimento.

A mudança para deixar de lado metas ambiciosas de longo prazo para o crescimento se opõe às práticas passadas na China e marca uma nova estratégia para o desenvolvimento econômico no longo prazo.

Focar menos nas metas pode dar às autoridades mais espaço para prosseguir com as reformas estruturais - em teoria - sob o risco de pressionar o crescimento doméstico e global.

Trump - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contou na quarta-feira que falou com o presidente chinês, Xi Jinping, para parabenizá-lo sobre a nova formação da liderança da China revelada no Congresso do Partido Comunista, em Pequim.
Os dois também conversaram sobre a Coreia do Norte e comércio, disse Trump em uma publicação no Twitter.

“Falei com o presidente Xi, da China, para parabenizá-lo por sua elevação extraordinária. Também discuti Coreia do Norte e comércio, dois assuntos muito importantes”, escreveu Trump.

Xi falou a Trump que a China vai “seguir firmemente o caminho do desenvolvimento pacífico” e promover “coordenação e cooperação entre grandes potências mundiais”, relatou a agência de notícias oficial chinesa Xinhua, na noite de quarta-feira.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

17/11/2017
Países querem banir uso do carvão até 2030
Cúpula climática da ONU realizada na Alemanha tem apoio de 15 nações e pretende reunir 50 até 2018
17/11/2017
Câmara dos EUA aprova reforma tributária
Washington - A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos aprovou ontem um amplo pacote de cortes de impostos afetando empresas, pessoas físicas e famílias, levando republicanos...
15/11/2017
Principais BCs do mundo prometem orientar investidores
Chairs veem comunicação como instrumento vital
15/11/2017
Crescimento da China desacelera
Pequim - A economia da China desacelerou mais no mês passado, com a produção industrial, o investimento em ativos fixos e as vendas no varejo abaixo das expectativas conforme...
15/11/2017
Economia da zona do euro avança mais que a dos EUA
Bruxelas - A economia da zona do euro cresceu mais do que a dos Estados Unidos no terceiro trimestre se comparada com o mesmo período do ano anterior, mostraram dados divulgados na...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.