Publicidade
17/11/2017
Login
Entrar

Legislação

27/10/2017

Migração para novo Refis será automática

Contribuintes já podem ingressar no programa sob as novas condições para pagamento de dívidas
AE
Email
A-   A+
A Receita Federal publicou instrução normativa que altera percentuais de descontos/Charles Silva Duarte/Arquivo DC
Brasília - O “Diário Oficial da União (DOU)” de ontem publicou uma portaria da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e uma instrução normativa (IN) da Receita Federal que fazem adequação da regulamentação do Programa Especial de Regularização Tributária (Pert) às novas condições de adesão do programa após a sanção da lei do novo Refis. Com a edição das normas, os contribuintes já podem fazer adesão ao programa sob as novas condições.

Segundo a Receita Federal informou ontem, para os contribuintes que já ingressaram com o pedido de renegociação de dívidas durante a vigência da Medida Provisória 783, que instituiu o programa, ainda com descontos menores, a migração dos débitos será automática, sem necessidade de apresentação de novo requerimento.

“Os contribuintes terão seus débitos automaticamente migrados para o parcelamento nos termos da Lei nº 13.496, de 2017, e o saldo devedor ajustado ao novo percentual de desconto das multas”, diz a nota divulgada ontem pela Receita Federal. Na tramitação da matéria no Congresso Nacional, o programa ganhou descontos e condições melhores para a adesão.

A instrução normativa da Receita faz, então, as alterações nos percentuais de descontos que serão concedidos aos contribuintes. No caso dos débitos abrangidos pelo Pert a serem liquidados em pagamento à vista e em espécie de, no mínimo, 20% do valor da dívida consolidada, sem redução, em cinco parcelas mensais e sucessivas, vencíveis de agosto a dezembro de 2017, o restante da dívida poderá ser: a) liquidado integralmente em janeiro de 2018, em parcela única, com redução de 90% dos juros de mora e de 70% das multas de mora, de ofício ou isoladas; b) parcelado em até 145 parcelas mensais e sucessivas, vencíveis a partir de janeiro de 2018, com redução de 80% dos juros de mora e de 50% das multas de mora, de ofício ou isoladas; ou c) parcelado em até 175 parcelas mensais e sucessivas, vencíveis a partir de janeiro de 2018, com redução de 50% dos juros de mora e de 25% das multas de mora, de ofício ou isoladas, sendo cada parcela calculada com base no valor correspondente a 1% da receita bruta da pessoa jurídica, referente ao mês imediatamente anterior ao do pagamento, não podendo ser inferior a 1/175 do total da dívida consolidada.

Todas as mudanças e alterações nas condições do programa foramo publicados na edição de ontem do “Diário Oficial da União”.

Leia também:
Inmetro regulamenta adesão ao PRD


Prazo - Por enquanto, o prazo de adesão permanece o mesmo, até dia 31 de outubro. No entanto, o próprio ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou na noite da última quarta-feira que o prazo poderá ser prorrogado. “Pode ser prorrogado, mas existem ainda algumas questões que têm que ser definidas”, afirmou o ministro após participar de evento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), em Brasília
Antes, o relator da MP do Refis na Câmara, deputado Newton Cardoso Jr. (PMDB-MG), tinha afirmado pelo Twitter que o governo vai editar uma medida provisória na próxima segunda-feira, prorrogando o prazo de adesão ao programa até o dia 14 de novembro.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

17/11/2017
Bons pagadores devem ter cadastro positivo
Temer disse que apoiará mudanças em projeto de lei para premiar esses microempreendedores
17/11/2017
Fazenda define cálculo do valor das prestações dos estados
Brasília - O Ministério da Fazenda publicou portaria no Diário Oficial da União (DOU) de ontem que estabelece a metodologia para a definição do valor...
17/11/2017
BANCOS | Empréstimo a controladores gera dúvidas
São Paulo - A recém-sancionada lei que permite ao Banco Central fechar acordos de leniência acabou também eliminando a restrição a empréstimos...
15/11/2017
Comissão propõe compensação para MG
Passivo de R$ 135 bilhões da Lei Kandir pode ser pago pela União em obras, sugere relatório final
15/11/2017
MPF oferece denúncia contra diretor do Santander
Brasília - O Ministério Público Federal (MPF) ofereceu denúncia contra um auditor da Receita Federal, um diretor da área fiscal do banco Santander e mais duas...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.