01/10/2014 - Porto Alegre é referência nacional do setor turístico

Habilitar uma cidade como polo de turismo criativo é uma tarefa que demanda esforço e tempo. Identificar bolsões de criatividade, reativar valores muitas vezes esquecidos e forma a torná-los diferenciais, revalorizar antigos saberes e resgatar a autoestima perdida, às vezes, de populações inteiras, demanda método e um trabalho multidisciplinar. Porto Alegre é, por enquanto, no Brasil, o exemplo mais efetivo de sucesso dessa política que trabalha a economia criativa por meio do turismo. A capital gaúcha descobriu uma nova vocação capaz de gerar emprego, renda e autorreconhecimento e que a levou a ser a primeira cidade brasileira a ingressar no "Creative Tourism Network", rede mundial de destinos criativos. Em sua passagem por Belo Horizonte, durante a "2ª Semana do Turismo", o secretário municipal de Turismo de Porto Alegre, Luiz Fernando Morais, destacou a necessidade de compreender estrategicamente o turismo criativo e o tracional. Foram identificados em Porto Alegre os segmentos de eventos e negócios; cultural; rural; lazer e saúde. Dentro do turismo criativo foram selecionados as seguintes áreas: artes cênicas, artes visuais, artesanato, ciência e tecnologia, educação e tecnologia social, gastronomia, literatura, moda e design, multimídia, música, qualidade de vida e tradicionalismo gaúcho. "Para que a iniciativa dê certo é preciso organização e planejamento. Informação é a palavra-chave.  necessário desenvolver e qualificar a oferta, monitorar e avaliar cada passo e cuidar do relacionamento e promoção. Todo esse esforço tomou forma verdadeiramente na realização da 1ª Conferência Brasileira de Turismo Criativo, em 2013. Conseguimos reunir 600 participantes", explica Morais. Revolução - Uma das expressões do tradicionalismo gaúcho mais importantes é a comemoração da Revolução Farroupilha. Todos os anos, em todo o Rio Grande do Sul, pessoas se reúnem em acampamentos e realizam atividades sociais e culturais que remontam à primeira metade do século 19. A manifestação popular visa manter viva a memória dos acontecimentos e dos heróis que buscavam a independência do império português e a transformação do território em uma república. "O acampamento é uma manifestação autêntica e rica em cultura e que atrai a curiosidade dos turistas. Começamos a conversar com os participantes e mostrar que aquilo poderia ser melhor aproveitado e constituímos o que chamamos de turismo de galpão. Hoje são cerca de 360 atividades que vão desde as oficinas de gastronomia até o artesanato e os costumes como música e dança gaúchas. Mais de 300 pessoas foram capacitadas e passaram a gerir melhor suas atividades e a atender com mais eficiência esse público", destaca o secretário de turismo de Porto Alegre.